Chapter 1: Lost & Forgottens

Launch Lessons

Quando percebemos a ausência de um método que pudesse realizar a reconexão de uma marca aos seus valores e essência, decidimos abrir mão dos nossos cases e carreiras nas grandes agências do mercado publicitário para desenhar este método para fundar um escritório que tivesse as nossas crenças.

Foram 16 anos dedicados à indústria da comunicação, trabalhando em grandes agências e para grandes anunciantes como diretores criativos e de planejamento. Mas havia algo dentro de nós que nos levaria a tomar outros rumos para irmos atrás daquilo que realmente acreditássemos como comunicadores.

Não tínhamos um mapa pronto, que nos indicasse o melhor caminho para todas as respostas que buscávamos, mas uma coisa não tínhamos dúvidas: seria preciso nos perdermos de tudo o que acreditávamos como publicitários para daí sim nos encontrarmos novamente. Estávamos entrando nos 30 anos, e a necessidade de nos identificarmos com nossos valores e criarmos um modelo de trabalho que acreditávamos foi fundamental nesse processo de largarmos tudo para vivermos uma nova experiência. Sem dúvida, Nova York é este grande porto de reencontros de si mesmo.

New York, USA

Finding the Life+Style

“Visitando as maiores redes de hotéis na cidade, percebemos que havia uma experiência diferente em cada um daqueles ambientes. Diferente do que acontece no Brasil ou na América Latina, as redes de hotéis funcionavam como verdadeiros pontos de encontro de diferentes tribos e estilos. Os lobbys eram disputados por centímetros e conseguir se enturmar em algumas dessas tribos, era uma missão ainda mais impossível.” 

 

“Cada detalhe funcionava como uma verdadeira combustão de comunicação. Apenas ali entendemos e vivenciamos o que era uma comunicação 360º. Do hostess, à arquitetura, às pessoas que frequentavam, ao design de interiores, aos folders dos convites, à curadoria de marcas, de música que rolava nos ambientes e no lobby, aos produtos vendidos nas lojinhas do hotel, tudo era perfeitamente conectado. Mas não era uma simples "comunicação 360º”, era mais do que isso, era um estilo de vida que penetrava tão forte na nossa pele, quanto a fragrância que existia em cada um dos lugares que visitávamos. Em todos eles, a regra era clara: ou você se identifica e está dentro, ou você não se identifica e cai fora.”

Ao perceberem essa efervescência tão natural mas marcas de hotéis, Flávia e Victor se dedicaram a transportar este mesmo método para qualquer tipo de produto. Se debruçaram em mapas e mais mapas de modo a construir uma metodologia que transformasse marcas em pessoas, ou seja, em verdadeiros lifestyle. Assim como nas redes de hotéis, eles buscavam por um método onde fosse possível para qualquer produto ou serviço pudesse ter seu gosto musical, seu cheiro, seu sabor, suas marcas preferidas e, por que não, sua própria casa?

 

 

Como eternos estudantes de moda, Nogueira que nasceu em uma família de criativos de moda e já havia feito diversos cursos na área, como no Fashion Institute of Technology. E Hayashida que trabalhou em muitos editoriais de moda para revistas no Brasil e estudado em cursos na Faculdade Santa Marcelina, ambos entenderam que deveriam ancorar seu método nos mesmos pilares de suas essências. Ou seja, entendendo, primeiramente, a essência de uma marca a partir de seus fundadores e, aí sim, através de um estudo de pesquisa de tendências e comportamento, encontrar a atitude e o posicionamento a ser adotado em absolutamente todos os pontos de contato.

Precisávamos desenhar, escrever, recortar e colar tudo o que estávamos vendo naqueles hotéis. Alugamos um espaço no MeatPacking para trabalhar. Não foi um período fácil, pois existia uma cobrança interna muito grande da nossa parte por termos largado tudo no Brasil e estávamos em um ambiente totalmente diferente, onde a fome pelo novo acontece segundo a segundo.

 

No caminho de volta, todas as noites, parávamos em uma lanchonete no Brooklyn para comer hot dog e escutar um rapaz com sua caixa de som. Percebemos que ele era uma pessoa conhecida, havia participado de um video clipe do The Killers e participado de um programa como o The Voicer, chamado Apollo. Ouvir as histórias deste rapaz todas as noites, nos encorajava, pois assim como nós, ele também havia deixado tudo para voltar a ser quem ele era, um cantor de rua. Essa era uma essência que ele jamais queria perder, por dinheiro algum. Isso nos trouxe, além de uma lição de vida, o principal pilar do nosso método: que é de nunca esquecermos a nossa essência.

Understanding the Essence

The France of Louis XIV